Selênio o protetor!

Selênio é nomeado após a palavra grega para lua, “selene”.

O nome do selênio é mais poético do que descritivo, porque pode ser encontrado naturalmente aqui na Terra. De fato, o selênio está em toda parte: no ar, na água, na terra e em todos os seres vivos.

E é fundamental para a saúde de todos os seres vivos – incluindo os seres humanos! O selênio é um mineral essencial com incríveis propriedades antioxidantes. Ele protege as células contra danos e, como você verá em breve, isso tem grandes implicações para a saúde óssea.

Além disso, obter a quantidade certa de selênio pode ser a diferença entre perda óssea e ganho ósseo. Mas não se preocupe, porque cobriremos exatamente a quantidade de selênio necessária, onde obtê-la e muito mais abaixo. Primeiro, vamos falar dos benefícios!

Como o selênio beneficia seus ossos

1 – Retarda a perda óssea e apoia a construção óssea:

O selênio desempenha um poderoso papel duplo quando se trata de saúde óssea. Isso diminui a ativação dos osteoclastos (células que quebram os ossos) e apóia a criação e a atividade dos osteoblastos (suas células construtoras de ossos)!

Então, como isso funciona? Bem, selênio é o que chamamos de co-fator, uma substância que ativa uma enzima. E, em termos mais simples, as enzimas provocam mudanças no corpo.

Agora, o selênio é um co-fator para algumas das enzimas antioxidantes mais importantes do corpo. Como você deve saber, os antioxidantes protegem as células do estresse oxidativo. E o estresse oxidativo ocorre quando moléculas não carregadas chamadas radicais livres atacam as células do corpo.

Portanto, o selênio é necessário para que um grupo de 25 enzimas antioxidantes funcione. Essas enzimas são chamadas selenoenzimas e desempenham muitas funções críticas.

Aqui, abordaremos como as selenoenzimas retardam a perda óssea e apoiam a construção óssea:

Selenoenzimas protegem os osteoblastos

Suas células construtoras de ossos produzem suas próprias selenoenzimas, usadas para se protegerem dos ataques dos radicais livres. Agora, é importante observar que mesmo células saudáveis ​​estão constantemente impedindo ataques de radicais livres.

Isso ocorre porque todas as células precisam produzir energia dentro de si para funcionar. Mas quando as células criam energia, elas também produzem radicais livres. Portanto, cabe às selenoenzimas afastar esses ataques que ocorrem naturalmente!

Em outras palavras, as selenoenzimas neutralizam os radicais livres e os impedem de danificar as células de construção óssea.

Selenoenzimas são essenciais para o desenvolvimento de novos osteoblastos

Quando os ataques de radicais livres não são interrompidos, os danos que causam resultam na produção de mais radicais livres. É um ciclo vicioso e promove a perda óssea de várias maneiras.

Uma dessas maneiras é que os radicais livres mexem com o desenvolvimento de novos osteoblastos a partir de suas células precursoras. As células precursoras estão a um passo de se tornarem células construtoras de ossos. Mas eles só podem dar o passo final se se protegerem dos radicais livres.

Mais uma vez, essas células precisam de selenoenzimas para aumentar suas defesas. E a única maneira de produzir selenoenzimas é se tiverem selênio suficiente. Portanto, sem selênio adequado, essas células nunca se transformarão em osteoblastos.

O resultado? O processo de remodelação óssea se torna desequilibrado e você começa a perder mais osso do que constrói.

Os antioxidantes mais importantes para os nossos ossos são as selenoenzimas

Talvez os antioxidantes mais críticos para nossos ossos exijam selênio para funcionar. Então, isso os torna selenoenzimas! Essas selenoenzimas específicas são chamadas glutationa peroxidases. Mas, para simplificar, chamaremos de GPs.

Agora, os GPs protegem seus ossos de duas maneiras:

 

Além disso, os GPs são responsáveis ​​por neutralizar um radical livre perigoso chamado peróxido de hidrogênio. E o peróxido de hidrogênio libera um radical livre altamente destrutivo que aciona os osteoclastos (células que quebram os ossos)!

Esse mecanismo é de particular interesse porque, em parte, explica por que as mulheres correm o risco de perda óssea durante a menopausa. Veja bem, o estrogênio aumenta nossa produção de um certo tipo de GP. Então, quando as mulheres perdem estrogênio, esse GP cai, levando ao aumento da produção de osteoclastos e, finalmente, à perda óssea.

Estabelecemos a importância das selenoenzimas para a saúde dos ossos. Agora, vamos ver algumas provas!

Vários estudos confirmaram que os níveis sanguíneos de selênio estão relacionados à saúde óssea. Esses estudos mostram que níveis insuficientes de selênio são iguais à perda óssea aumentada e à baixa densidade mineral óssea (DMO). Por outro lado, níveis saudáveis ​​de selênio são iguais a menor perda óssea e maior DMO!

O maior desses estudos confirmou que o selênio afeta a perda óssea e a DMO e é altamente provável que afete o risco de fratura! *

* Observe que este foi um estudo observacional, o que significa que não houve intervenção ativa. Portanto, não podemos ter certeza de que outros fatores, como escolhas de estilo de vida, não impactaram os resultados. Mais pesquisas serão necessárias para chegar a uma conclusão definitiva!

Aqui estão os destaques do estudo:

Estudo de Osteoporose e Ultrassom (OPUS)

  • Um estudo prospectivo de 6 anos (esse tipo de estudo segue um grupo de pessoas por um longo período de tempo).
  • Participaram 2.374 mulheres saudáveis ​​na pós-menopausa.
  • Os pesquisadores testaram a DMO do quadril e os níveis sanguíneos de selênio no início do estudo e nos 6 anos de acompanhamento.
  • Os níveis de selênio na extremidade superior do normal foram associados à maior DMO do quadril no início e no final do estudo.
  • Níveis mais baixos de selênio foram associados a maior renovação óssea e menor DMO.
  • Os pesquisadores concluíram que os dados mostraram que o selênio adequado é necessário para manter o osso.

 

É importante mencionar que muito selênio pode ser tóxico. Mas não se preocupe, analisaremos a quantidade de selênio necessária para obter uma saúde ideal um pouco mais abaixo na página.

2 – Suporta função saudável da tireóide:

Você pode saber que a glândula tireóide é essencial para a saúde óssea. Produz os hormônios tireoidianos tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), e esses hormônios desempenham um papel vital em todos os tipos de funções, incluindo a manutenção óssea.

Agora, sua glândula tireóide produz principalmente T4, que é muito menos ativo que o T3. Na verdade, é considerado um “hormônio”. Em outras palavras, é a forma inativa de um hormônio que vem antes da versão ativa.

Então, nosso T3 ativo é feito de T4! Mas, para fazer isso, o T4 precisa da ajuda das enzimas deiodinase. Mais uma vez, o selênio é necessário para ativar essas enzimas. O que significa que o selênio insuficiente leva à baixa produção de hormônios da tireóide ou a uma tireóide “subativa” (uma condição chamada hipotireoidismo).

Do outro lado desta equação, a deficiência de selênio também pode contribuir para uma tireóide hiperativa (hipertireoidismo)!

Vamos dar uma olhada em quão pouco selênio desencadeia essas condições e como isso afeta sua saúde óssea.

Deficiência de selênio e hipotireoidismo

Sem selênio, sua glândula tireoide não pode produzir T3. Isso é um problema porque nossos hormônios da tireoide regulam a taxa na qual nossas células quebram os ossos velhos e constroem novos ossos (o processo de remodelação óssea).

Agora, seu corpo quebra ossos velhos muito mais rápido do que constrói ossos novos. Para lhe dar uma perspectiva, cada ciclo de remodelação óssea envolve três a cinco semanas de quebra óssea. Mas leva três meses para os osteoblastos estabelecerem novos ossos para substituir o osso que foi removido!

Portanto, quando seus hormônios da tireoide não estão funcionando adequadamente, todo o processo de remodelação diminui. Isso significa que demora um pouco mais para quebrar o osso antigo, mas também leva muito mais tempo para construir um osso novo. E, infelizmente, esse desequilíbrio favorece a perda óssea.

Como você pode ver, é um equilíbrio delicado quando se trata de hormônios da tireoide. Pouca atividade (hipotireoidismo) causa perda óssea, mas muita atividade (hipertireoidismo) também causa! Então, vamos ver como o selênio também se relaciona com o hipertireoidismo.

Deficiência de selênio e hipertireoidismo

É sabido que o hipertireoidismo causa perda óssea. Quando os níveis de hormônio da tireoide são muito altos (T3, em particular), o corpo entra em modo acima do normal. E, como vimos, os hormônios da tireoide regulam o processo de remodelação óssea.

A deficiência de selênio pode causar hipertireoidismo devido à sua relação com as enzimas deiodinase. Lembre-se de que essas enzimas regulam a quantidade de T3 que circula em nossos corpos - nem muito nem muito pouco.

Em outras palavras, as enzimas deiodinase ativam E desativam os hormônios da tireoide. Portanto, se você já possui T3 em excesso, não obter selênio suficiente significa que não poderá regular esse excesso.

Isso desencadeia uma cadeia negativa de eventos para os seus ossos. Quando seus níveis de T3 estão muito altos (hipertireoidismo), o processo de remodelação óssea acelera. E como é muito mais rápido quebrar ossos velhos do que construir ossos novos, o resultado é uma perda considerável de ossos.

De fato, o aumento da quebra óssea devido ao hipertireoidismo pode causar uma perda de cerca de 10% da massa óssea por ciclo de remodelação. E seu ciclo médio de remodelação óssea leva 24 semanas ... Então, isso significa que você pode perder até 20% de massa óssea em um ano!

Você pode ver como isso levaria rapidamente à densidade mineral óssea reduzida (DMO). Portanto, manter o nível correto de selênio é crucial para a função tireoidiana saudável e a saúde óssea.

Mas não se preocupe, abordaremos qual é o nível certo de selênio um pouco mais abaixo na página!

3 – Ajuda seu corpo a limpar metais tóxicos que causam perda óssea:

Você pode ter ouvido falar de toxinas ambientais. Esses tipos de toxinas podem ser encontrados em nossos alimentos, nossos produtos de limpeza, nosso suprimento de água … e causam todo tipo de destruição em nossos ossos.

Além disso, os metais são algumas das toxinas mais prejudiciais por aí! A boa notícia é que o selênio pode ajudar a protegê-lo desses metais.

Agora, muitos metais causam danos ao produzir radicais livres no corpo. Se você se lembra, os radicais livres são os responsáveis ​​pelo estresse oxidativo. Eles atacam as células do corpo e interrompem todos os tipos de funções corporais no processo – incluindo o ciclo de remodelação óssea.

É aqui que entra o selênio. Estudos em humanos mostram que o selênio ajuda a proteger contra os danos causados ​​pelos radicais livres causados ​​pelos metais. Isso é feito através de selenoenzimas que se combinam com metais tóxicos e basicamente os desativam.

Portanto, o selênio protege contra a perda óssea, eliminando os metais tóxicos que a causam!

4 – Reduz o risco de fratura de quadril – mesmo em fumantes!

Até agora, você provavelmente está começando a ver o quão importante é o selênio para os seus ossos. E quando você considera que 20 a 24% das pessoas morrem dentro de um ano após sofrer uma fratura osteoporótica do quadril … esse último benefício chama mais a atenção.

Pesquisas recentes mostram que o selênio ajuda a diminuir o risco de fratura de quadril – mesmo em fumantes!

Agora, sabemos que fumar faz mal à saúde óssea (sem mencionar a saúde geral). Portanto, o fato de o selênio reduzir o risco de fratura em fumantes diz muito.

Vamos dar uma olhada em algumas evidências:

Selenoproteínas e status do selênio na fisiologia e patologia óssea

  • Os pesquisadores conduziram um estudo de caso-controle para descobrir se há uma ligação entre antioxidantes e risco de fratura osteoporótica do quadril.
  • Eles também analisaram se o tabagismo afetava esse relação (observe que o tabagismo aumenta o risco de fraturas).
  • Os fumantes foram divididos em cinco grupos com base na quantidade de selênio que receberam.
  • O grupo que recebeu mais selênio teve um risco 73% menor de fratura de quadril em comparação com o grupo que recebeu menos selênio.

 

Como você pode ver, houve efeitos positivos significativos da ingestão de selênio no risco de fratura de quadril.

E esses resultados estão alinhados com o que abordamos sobre o papel do selênio na manutenção e proteção óssea!

Quanto selênio você precisa?

Então, vimos como o selênio é crucial para seus ossos. Mas quanto você precisa?

Bem, para homens e mulheres saudáveis ​​com 19 anos ou mais, a dose diária recomendada (RDA) para selênio é de 55 mcg por dia. Mas lembre-se de que, quando o Instituto de Medicina estabeleceu esse limite, seu objetivo era evitar a deficiência e não promover a saúde ideal.

O Conselho de Alimentos e Nutrição do Instituto de Medicina também estabeleceu um “Nível de Efeito Adverso Não Observado” (NOAEL) para selênio de 800 mcg por dia para adultos. Mas, para dar conta de indivíduos sensíveis, eles estabeleceram o Nível de ingestão superior tolerável (UL) em 400 mcg por dia (metade do NOAEL).

A dosagem que você deseja prestar atenção é de 200 mcg por dia. Essa é a dose típica usada em ensaios clínicos que mostram os benefícios à saúde do selênio e que muitos suplementos nutricionais seguem.

Portanto, para uma saúde ideal (saúde óssea incluída), 200 mcg por dia é a ingestão que você deve procurar!

Melhores fontes alimentares de selênio

Como vimos, o selênio é um mineral vestigial … então, você só encontrará vestígios dele nos alimentos! Dito isto, existem certos alimentos que contêm mais selênio do que outros. Então, aqui estão alguns dos principais alimentos “ricos em selênio” para incluir em sua dieta saudável para os ossos.

Nota: Se você é deficiente em selênio, convém considerar a suplementação, além de implementar alguns desses alimentos. Explicaremos quais fatores podem causar uma deficiência de selênio após esta tabela!

Alimento Porção Quantidade (microgramas)
Castanha do pará 6 - 8 castanhas 544
Atum, cozido 1 porção 92
Linguado, cozido 1 porção 47
Sardinhas, enlatadas em óleo 1 porção 45
Presunto assado 1 porção 42
Camarão enlatado 1 porção 40
Bife, assado 1 porção 33
Peru, assado 1 porção 31
Frango, assado 1 porção 22
Queijo Cottage, 4% de gordura de leite 1 copo 20
Arroz, marrom, grãos longos, cozido 1 copo 19
Carne moída, 25% de gordura, grelhada 1 porção 18
Pão integral 1 fatia 13
Pão branco 1 fatia 6
Feijão, enlatado, vegetariano 1 copo 13
Aveia, regular ou rápida, cozida com água 1 copo 13
Espinafre, congelado, cozido 1 copo 11
Leite, integral 1 copo 8
Iogurte, liso, integral 1 copo 8
Lentilhas cozidas 1 copo 6
Molho de espaguete, marinara 1 copo 4
Castanha de caju, torrada a seco 1 porção 3

* Observe que o conteúdo de selênio dos alimentos varia dependendo da quantidade de selênio no solo e de alguns outros fatores, como os níveis de pH do solo. Portanto, esses valores são diretrizes gerais e podem variar um pouco de acordo com a localização geográfica.

** Caso tenha dúvidas, consulte um nutricionista para melhor orientar a composição da sua dieta.

Fatores que podem afetar sua ingestão de selênio

Como você pode ver, há muito pouco selênio na comida. Mesmo assim, a maioria das pessoas obtém selênio adequado de sua dieta. Mas o selênio adequado e o selênio ideal são duas coisas diferentes!

Além disso, existem alguns outros fatores que podem afetar sua ingestão.

Portanto, antes de decidir se precisa suplementar, considere o seguinte:

1 – Onde você mora:

O selênio é um mineral presente no solo. Portanto, dependendo de onde sua comida foi cultivada, a quantidade de selênio que ela contém variará.

A maioria dos americanos consome selênio adequado. De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição mais recente, a ingestão média de selênio para americanos acima de dois anos é de 111 mcg por dia.

Dito isto, fica aquém da ingestão diária recomendada para uma saúde ideal. Portanto, se você mora em uma área com baixo nível de selênio, convém verificar os níveis sanguíneos de selênio apenas por precaução (explicaremos em breve).

2 – Sua genética:

Seus genes também podem afetar a quantidade de selênio necessária. Estudos mostram que há uma certa herança genética que interrompe seu sistema de selenoenzimas.

É chamado de polimorfismo de nucleotídeo único (SNP). Basicamente, isso significa que uma molécula diferente é trocada para um determinado par de genes. Essa opção afeta a produção da selenoenzima antioxidante chave que discutimos anteriormente: glutationa peroxidase (GP).

O que acontece é que uma versão lenta do GP é produzida. Agora, vimos anteriormente como o GP evita a perda óssea combatendo a inflamação e neutralizando os radicais livres perigosos. Portanto, indivíduos com a versão lenta do GP são mais propensos a perda óssea e baixa densidade mineral óssea (DMO).

Essa reviravolta genética do destino também foi associada ao aumento da inflamação e ao risco de osteoartrite.

Tudo isso para dizer que, mesmo se você mora em uma área com alto selênio, pode precisar suplementar! Para descobrir o que seus GPs estão fazendo, você pode fazer um exame de sangue (explicaremos abaixo).

3 – Sua preferência alimentar:

Dependendo da sua dieta, você pode estar em risco de baixos níveis de selênio.

É o caso de vegetarianos e veganos. Os vegetarianos geralmente têm níveis muito mais baixos de selênio no sangue do que os onívoros, e isso é ainda pior para os veganos. Os níveis de selênio são um problema para os veganos por algumas razões.

Primeiro, a dieta vegana é baixa no aminoácido metionina. Isso é importante porque nossos corpos precisam de metionina para otimizar o uso de selênio. E laticínios, carne, cordeiro, peru, carne de porco e peixe são ricos em metionina! A boa notícia é que nozes e feijão também são ricos em metionina; portanto, os veganos devem comer esses alimentos diariamente.

O segundo problema para os veganos é que carne, frutos do mar, ovos e laticínios também contêm selênio! Portanto, por padrão, a dieta vegana exclui muitos alimentos ricos em selênio. Se você é onívoro, por outro lado, pode estar recebendo 200 mcg de selênio por dia.

Para descobrir se você está recebendo selênio adequado, tente manter um diário alimentar por uma semana. No final da semana, use a tabela Melhores fontes alimentares de selênio acima para calcular sua ingestão média diária.

* Se necessário consulte um nutricionista, para que juntos encontrem os melhores alimentos para você!

Mas se você quiser ter certeza dos seus níveis de selênio, só há uma coisa a fazer …

Verifique seus níveis de selênio com um teste de laboratório

Lembra quando conversamos sobre glutationa peroxidases ou GPs um pouco antes? Eles são as enzimas antioxidantes mais importantes do nosso corpo e precisam de selênio para ativá-las.

Portanto, um exame de sangue para verificar sua atividade de GP é um bom indicador de seus níveis de selênio! Se o seu exame de sangue mostrar baixa atividade do GP, é um sinal de que você não está recebendo selênio adequado. Ou você pode ter a condição genética que descrevemos acima, mas nesse caso, você ainda precisa aumentar sua ingestão de selênio.

A boa notícia é que vários laboratórios já oferecem esse teste! Se você está preocupado com seus níveis de selênio ou simplesmente quer ter certeza, consulte um médico e peça o exame de sangue que possa evidenciar a quantidade de selênio em seu corpo.

O que procurar em um suplemento de selênio

Se você é deficiente em selênio, convém considerar a suplementação, além de incorporar alimentos ricos em selênio em sua dieta.

Existem alguns fatores a considerar ao escolher um suplemento. Embora o selênio esteja disponível em multivitamínicos e como um suplemento independente, recomendamos o uso de leveduras com alto teor de selênio. Para entender o porquê, precisamos dar uma olhada nas diferentes formas de selênio.

O selênio existe em duas formas: inorgânico (selenato e selenito) e orgânico (selenometionina e selenocisteína). A forma inorgânica é encontrada no solo, então as plantas acumulam essa forma e a convertem em sua forma orgânica.

A maior parte do selênio no tecido humano está na forma orgânica selenometionina. Um fato que sugere que esta é a forma preferida para os seres humanos.

Agora, você pode encontrar suplementos de selênio em todas essas formas: selenito de sódio, selenato de sódio, selenometionina, selenocisteína e levedura com alto selênio.

O interessante é que pesquisas que compararam essas diferentes formas descobriram que a selenometionina aumentou mais as concentrações de selênio no sangue e nos tecidos do que as outras formas. MAS, não era melhor aumentar a atividade do GP. Lembre-se, a GP é a enzima antioxidante crítica que o selênio ativa.

Portanto, a levedura com alto selênio pode muito bem ser a melhor opção, pois contém uma mistura de selênio orgânico – incluindo a selenometionina e a selenocisteína. E no mesmo estudo, os pesquisadores descobriram que a levedura com alto selênio aumentou a atividade da GP muito mais do que o selênio inorgânico!

Vale ressaltar que a levedura com alto selênio também foi usada em um ensaio clínico que mostrou incidência reduzida de câncer e mortes relacionadas ao câncer.

Para resumir, sua melhor aposta é escolher uma forma orgânica de selênio. E, aliás, como o BIOMAC Cálcio Vegetal Marinho é baseado em plantas, ele também contêm selênio orgânico em pequenas quantidades.

Portanto, o seu BIOMAC Cálcio Vegetal Marinho é um ótimo complemento para o seu selênio na dieta – juntamente com todos os outros minerais e vitaminas essenciais que seus ossos desejam. Essa abordagem de vários nutrientes é o motivo pelo qual o BIOMAC Cálcio Vegetal Marinho é o único suplemento de cálcio garantido para aumentar a densidade óssea!

Preocupações com a segurança – selênio

Há um ponto ideal com selênio. Muito ou pouco não é bom para você.

É importante observar que o selênio pode ser tóxico se consumido em excesso (uma condição chamada selenose). Em excesso, estamos falando mais do que o nível de efeito adverso não observado (NOAEL) de 800 mcg por dia. Mas como você pode saber se está recebendo muito selênio?

Bem, nos estágios iniciais da sobrecarga de selênio, você pode notar um odor de alho na respiração e um gosto metálico na boca. Se você está consumindo muito selênio há um tempo, os sintomas a serem observados incluem perda de cabelo, manchas brancas nas unhas, unhas quebradiças e perda de unhas.

Outra preocupação a ser observada é que, se você estiver grávida, a ingestão excessiva de selênio pode causar defeitos de nascimento.

Mas lembre-se de que é difícil conseguir consumir mais de 800 mcg de selênio por dia. O selênio existe em quantidades mínimas na maioria dos alimentos. Portanto, a menos que você coma castanha do Pará (punhado), é improvável que você ultrapasse esse limite.

As castanhas do Brasil são a exceção, pois contêm muito selênio. O USDA nos diz que uma porção média de (6 a 8 nozes) tem cerca de 543,3 mcg de selênio.

Portanto, você não deve comer mais de duas castanhas do Brasil por dia, pois cada castanha pode conter 140 mcg de selênio. E se você se lembra, a ingestão diária de selênio recomendada para uma saúde óssea ideal é de 200 mcg!

Refeições com selênio

O selênio é essencial para os seres humanos.

Ela desempenha um papel crítico em muitas das funções do corpo, desde a produção do hormônio tireoidiano até a proteção contra o estresse oxidativo e a inflamação. E essas funções são críticas para a saúde dos ossos!

De fato, vários grandes estudos em humanos apóiam a importância do selênio para a saúde óssea. O mais autoritário desses estudos mostra uma clara relação entre baixos níveis sanguíneos de selênio e perda óssea.

Existem certos fatores que podem estar afetando seus níveis de selênio. Onde você mora, sua dieta e seus genes desempenham um papel. Se um ou mais desses fatores estiverem afetando sua ingestão, você terá opções.

Existem vários suplementos de selênio para você escolher. Apenas certifique-se de escolher um que contenha a forma orgânica de selênio e ofereça não mais que 200 mcg por dose – a ingestão recomendada para uma saúde óssea ideal! Como sempre, é uma boa ideia consultar seu profissional de saúde antes de tomar novos suplementos.

E nos dias em que você comer castanha-do-pará, não tome selênio adicional. As castanhas do Brasil contêm selênio mais do que suficiente para cobrir sua ingestão diária. Apenas duas castanhas contêm cerca de 280 mcg … e podem conter mais dependendo de fatores como solo e estação de crescimento!

Então você definitivamente não quer exagerar, porque o excesso de selênio é tóxico. A toxicidade do selênio, ou selenose, pode causar uma série de efeitos colaterais desagradáveis, como perda de cabelo, unhas quebradiças e náusea. Tudo isso para dizer, se você decidir suplementar, lembre-se de quanto selênio está consumindo.

Vale a pena notar que, para colher os efeitos benéficos do selênio nos ossos, você também precisa consumir pelo menos 800 mg de cálcio por dia. Melhor ainda, para uma saúde óssea ideal, verifique se você está recebendo pelo menos 1.200 mg de cálcio por dia com sua dieta e suplementos.

Se você usar o BIOMAC Cálcio Vegetal Marinho, atenderá facilmente a esse requisito, além de obter um pouco de selênio extra (sem mencionar os outros 12 minerais essenciais para a saúde óssea!). Mas você ainda precisará de mais selênio para atender à ingestão diária ideal.

Portanto, revise a tabela acima para ter uma idéia do quanto você está consumindo selênio. Se você não acha que está recebendo o suficiente apenas da dieta, considere fazer um exame de sangue para descobrir onde está!

Melhore sua saúde já!

Melhore sua saúde já!

O único suplemento de cálcio com suporte clínico para construir novos ossos

O único suplemento de cálcio com suporte clínico para construir novos ossos

Notícias de Saúde Óssea

BIOMAC TE INFORMA